Escolha uma Página

Um dos passos mais conhecidos de uma rotina de cuidados com a pele é a esfoliação facial, possuindo uma grande gama de produtos e atendendo aos mais variados tipos de pele. Através dela, sua pele pode receber uma limpeza diferenciada, promovendo muitos benefícios estéticos e saudáveis. Mas qual opção escolher dentre as várias oferecidas pelo mercado e qual seria o melhor para o seu tipo de pele? Confira esse conteúdo e conheça os três principais tipos de esfoliação facial!

Esfoliação: o que é e qual sua importância

A esfoliação se trata do processo de remoção das células mortas para se obter uma pele mais limpa e macia. Mas, mais do que isso, é um cuidado facial que promove a renovação celular e estimula a produção de novas células com mais colágeno. Como já contamos na criação de uma rotina de Skin Care, esse é um passo muito importante para a desintoxicação profunda da pele. Além da renovação da pele, a esfoliação ajuda até mesmo a promover uma melhor absorção e ação dos dermocosméticos.

Além disso, a esfoliação facial pode ser responsável por uniformizar a aparência da pele, melhorando a textura e a pigmentação, e contribuindo também para evitar manchas e poros entupidos, que podem ocasionar acne ou pelos encravados.

A esfoliação facial pode ser encontrada em três tipos diferentes: esfoliantes físicos, químicos e enzimáticos, sendo que cada um possui suas vantagens e indicações. Confira a seguir quais são eles.

Esfoliante físico

Se trata da formulação mais comum e que geralmente vem a mente das pessoas quando o assunto é esfoliação. Sua ação é feita através do atrito de produtos granulados ou de acessórios com superfícies irregulares e a intensidade é estipulada próprio usuário, por ser definida pela força mecânica e pelo tempo que se aplica o produto na pele.

Pode ser encontrado tanto no formato de creme, gel e sabonete ou através de acessórios, que vão desde esponjas simples até aparelhos eletrônicos.

Esfoliante químico

Mais conhecidos por pessoas com o hábito de frequentar dermatologistas ou que conhecem mais o assunto, esse tipo de esfoliante facial geralmente é composto por ácidos que fazem com que as células se desprendem da superfície da pele. Portanto, devido a essa característica, exige que a pele seja mais hidratada e que haja uma maior proteção solar, por promover uma maior sensibilização.

Mas ainda sim se tratam de substâncias químicas seguras, tendo como principais exemplos os Alfa-hidroxiácidos (AHA), como o ácido glicólico, ácido lático, ácido málico, entre outros, e os Beta-hidroxiácidos (BHAs), como o ácido salicílico.

Esfoliante enzimático

Possuem como princípio a utilização de compostos sintéticos ou naturais, que atuam na camada mais externa da pele, a camada córnea, quebrando proteínas e degradando a queratina provenientes do acúmulo de células mortas. São uma opção mais suave que os ácidos dos esfoliantes químicos, podendo serem usados até por pessoas com peles sensíveis.

Exemplos desses compostos naturais (ou biológicos) são a papaína (do mamão), bromelina (do abacaxi), a enzima da romã e da abóbora.

Lembrando sempre a importância de se consultar um dermatologista para conhecer mais os benefícios e ressalvas para o seu tipo de pele e quais são as opções mais indicadas para você.

Interessado nas possibilidades de cuidados com a pele? Animado com as oportunidades de fazer parte desse mercado? Pretende desenvolver seus próprios produtos? Então entre em contato conosco clicando aqui e veja como podemos te ajudar!