O glúten é um conjunto de proteínas presentes em grãos de trigo, cevada, centeio e malte, os quais compõem alimentos como pão, macarrão, biscoito, cerveja, dentre outros. Em algumas pessoas, a ingestão de glúten pode causar uma reação imunológica exagerada denominada doença celíaca, condição que gera um grande desconforto. Venha saber mais sobre esse assunto!

O que é a doença celíaca e como se dá o tratamento?

Os indivíduos que apresentam a doença celíaca são deficientes da enzima que é responsável pela quebra das proteínas do glúten dentro do organismo, sendo assim, um acúmulo de glúten ocorre na parede do intestino. Como resultado deste processo há uma reação inflamatória decorrente do excesso de glúten que promove uma resposta autoimune, ou seja, as células de defesa acabam agredindo as células do próprio organismo, o que leva ao desenvolvimento da doença e interfere na absorção de outros nutrientes.  

Sendo uma doença que não apresenta cura, pois não há medicamentos ou terapias específicas para seu tratamento, a melhora do quadro se dá pela retirada da dieta de alimentos que contêm glúten. Assim, cada vez mais observa-se que a rotulagem nutricional é de extrema importância nos rótulos dos alimentos, visando não somente fornecer as informações acerca das calorias e das macromoléculas importantes (proteínas, gorduras e carboidratos), mas também para informar ao consumidor final se o produto contém ou não glúten. Com isso, é possível ajudar a minimizar o sofrimento causado pela ingestão da substância pelos celíacos, contribuindo com a qualidade de vida dos mesmos.

Para saber mais sobre o que deve conter nos rótulos dos alimentos, clique aqui!

Quais são os sinais e sintomas da doença?

Os sintomas que acometem pessoas celíacas, geralmente, não são específicos, o que dificulta o diagnóstico precoce da doença. Os mais comuns são:

  • Sensação de inchaço e barriga estufada;
  • Diarreia;
  • Ânsia de vômito;
  • Perda de peso e anemia;
  • Gases e desconforto abdominal;
  • Dores nas articulações;
  • Cansaço.

Como se dá o diagnóstico da doença celíaca?

Normalmente, o início da doença se dá na infância (entre o primeiro e terceiro ano de vida), quando acontece o primeiro contato com os cereais, mas, vale ressaltar que, embora seja mais comum nesse período de vida, a doença celíaca pode ainda ocorrer em adultos, de ambos os sexos.

A forma mais efetiva para o diagnóstico é realizar a dosagem de anticorpos (células de defesa do organismo) em uma amostra de sangue. Deve-se também realizar a biópsia (análise do tecido e das células que o compõem) do intestino que permite identificar se houve atrofia das vilosidades (pequenas dobras do intestino) e alterações desencadeadas pela inflamação. É importante que casos de doença celíaca em indivíduos da família sejam relatados, pois permite um maior direcionamento no momento da investigação da doença.

Saiba diferenciar: Doença Celíaca, Alergia ao Glúten e Intolerância ao Glúten 

É importante ressaltar que muitas pessoas apresentam sintomas semelhantes, mas podem não apresentar a doença celíaca e, sim, uma alergia ou intolerância ao glúten.

A alergia ao glúten também se dá por uma reação do sistema imunológico (sistema de proteção do nosso corpo), no entanto, envolve outros tipos de anticorpos. Essa manifestação ocorre, em maior frequência, logo na primeira ingestão de alimentos que contêm trigo. É comum que a alergia promova sintomas iniciais leves como coceira, logo após o consumo. Além disso, pode haver a chamada anafilaxia, forma mais grave da reação alérgica, quando não tratado a tempo. É importante ressaltar que nos casos de alergia ao glúten o cereal mais comum é o trigo, mas há ainda reações alérgicas ao centeio e cevada.

Já no caso da intolerância ao glúten ainda não se sabe exatamente se o problema é o glúten ou algum carboidrato que está presente no alimento ingerido. Os sintomas são comuns à doença celíaca: diarreia, gases, desconforto abdominal, dor de cabeça, sonolência; no entanto, não há relação com reação do sistema imune e produção de anticorpos. O processo de manifestação desta intolerância é ainda desconhecido, mas há indícios de que alterações da microbiota intestinal (bactérias presentes no intestino) tenha um papel importante. Dessa maneira, é indicado que se o indivíduo sinta desconfortos ao ingerir alimentos que contenham trigo, esse consumo seja suspenso, mesmo que a intolerância não promova reações graves, tais como aquelas que ocorrem na alergia ao glúten ou na doença celíaca.

Tem interesse em fazer a rotulagem nutricional do seu produto e garantir que seus consumidores saibam exatamente a composição do que você está oferecendo para ele? Entre em contato conosco clicando aqui!

Referências

Doença celíaca: sintomas, alimentação, diagnóstico e tratamento – Veja Saúde

Doença celíaca: Como diagnosticar e tratar – Drauzio Varella

Saiba diferenciar doença celíaca, alergia ao trigo e intolerância ao glúten – Uol

Quer receber atualizações dos nossos conteúdos, promoções exclusivas e um ebook especial sobre a COVID-19 e seus cuidados?

Então inscreva-se agora! Basta informar os dados abaixo. É fácil, rápido e totalmente gratuito!