Como bem sabemos, o mundo se reinventa a cada momento visando atitudes cada vez mais naturais e eco friendly. Na área medicinal, a descoberta de remédios mais naturais, vindos especialmente de plantas, vêm fornecendo novos tratamentos, o que possibilita a valorização da fauna e da flora do nosso mundo. Sendo assim,  o post de hoje é sobre uma planta muito conhecida, a arnica! Vamos aprender um pouco mais sobre ela?

O QUE É A ARNICA? 

A arnica, chamada cientificamente de Arnica montana, é uma espécie vegetal encontrada principalmente nas montanhas europeias. É uma planta com alto poder medicinal devido suas diversas propriedades e seus grandiosos benefícios, que são conferidos por seu óleo essencial e suas substâncias compostas por flavonóides e compostos fenólicos.  

Sua diversidade estende-se para as diferentes formas que pode adquirir, doenças que pode tratar e vias que pode ser administrada, o que faz dela uma das plantas mais versáteis da medicina alternativa.

PROPRIEDADES E BENEFÍCIOS

A arnica possui propriedades medicinais anti-inflamatórias, antimicrobianas, antioxidantes, analgésicas, antissépticas, anticoagulantes e cicatrizantes. Exatamente por ser tão poderosa, ela vem cada vez mais sendo utilizada na medicina moderna. 

Devido seus diversos componentes medicinais, como a helenalina, a arnica atua diretamente no sistema imunológico, podendo inibir ou amenizar os sintomas da inflamação, como a dor, o calor e a vermelhidão. Nesse sentido, a arnica comumente é usada para tratar: 

  • contusões;
  • dores reumáticas dos músculos e articulações;
  • edemas (por fraturas);
  • escoriações;
  • flebite superficial;
  • furunculose;
  • hematomas;
  • picadas e ferroadas de insetos;
  • inflamações da orofaringe;
  • torções;
  • condições pós operatórias.

FORMAS DE USAR

Várias são as formas farmacêuticas e vias de administração como a arnica pode ser utilizada. Contudo, a principal e mais segura trata-se da via tópica, ou seja, aplicação sobre a pele, o uso externo. Nesse caso tem-se como formas encontradas: 

  • Gel;
  • Loção;
  • Pomada;
  • Tintura;
  • Óleo;
  • Chá para compressa.

Além disso, há também uma forma como a arnica pode ser utilizada via oral, através de medicamentos homeopáticos. Isso porque produtos homeopáticos são altamente diluídos, de forma que não seja tóxico para o indivíduo, evitando qualquer efeito colateral que pode ser causado pela planta.

EFEITOS COLATERAIS E CONTRAINDICAÇÕES

Cuidado, apesar de natural, a arnica é altamente tóxica, podendo causar diversos efeitos indesejados, como intoxicação ou reação alérgica.  Quando utilizada na pela de forma exagerada, é possível que haja alergia, inchaço ou dermatite. Já quando ingerida, pode causar desde irritação na boca e na garganta, dor no estômago e diarréia, até náuseas, vômitos, alucinações, falta de ar, convulsões, fraqueza muscular, sangramento e complicações cardíacas, podendo levar ao coma e à morte. 

Dessa forma, seu uso não é indicado para pessoas alérgicas, crianças com menos de 12 anos, grávidas e lactantes, pessoas com doenças no fígado e em tratamento de alcoolismo. Outras pessoas podem ter reações alérgicas ou hipersensibilidade à arnica. Se isso ocorrer, você deve parar o uso imediatamente. 

Ficou interessado em conhecer mais sobre tratamentos naturais? Gostaria de adicionar a arnica na sua formulação cosmética? Entre em contato conosco clicando aqui.

Referências:

Ecycle

Tua Saúde 

A revista da mulher 

Quer receber atualizações dos nossos conteúdos, promoções exclusivas e um ebook especial sobre a COVID-19 e seus cuidados?

Então inscreva-se agora! Basta informar os dados abaixo. É fácil, rápido e totalmente gratuito!