Diante da pandemia do coronavírus, a procura por álcool em gel aumentou significativamente, juntamente à disseminação de fake news pela internet, tanto sobre o COVID-19 como em relação ao álcool em gel e seu uso. Dessa forma, nós preparamos este conteúdo para esclarecer o modo consciente de utilizá-lo!

Uso do álcool em gel

Considerado como antisséptico, o álcool em gel auxilia a evitar o contágio de várias doenças por possuir ação antimicrobiana. Sua forma farmacêutica em gel permite que o contato do produto com a pele seja maior e, por ser mais viscoso, escorre menos por entre os dedos quando comparado com o álcool líquido. Contudo, a forma líquida também pode ser utilizada para higienização, sendo mais recomendada para a assepsia de superfícies e objetos.

O uso do álcool em gel é indicado para promover a higienização das mãos quando não há a possibilidade de lavá-las com água e sabão. No entanto, é válido ressaltar que o uso do álcool não substitui a lavagem das mesmas e, ao longo do dia ou após transitar em lugares de aglomeração, essa prática deve ser realizada quando possível. Portanto, após a assepsia das mãos com água e sabão, o uso do álcool não se faz necessário.

Lavagem com água e sabão ou higienização com álcool em gel?

Um dos primeiros questionamentos durante a pandemia foi o que seria melhor: lavar as mãos com água e sabão ou fazer uso do álcool em gel. E, como dito anteriormente, a lavagem das mãos com sabão é mais assertiva. Os surfactantes presentes em sabonetes e detergentes são mais eficazes contra os microrganismos, uma vez que são capazes de destruir o envelope lipoproteico de revestimento viral. Dessa forma, o uso de álcool em gel é importante em situações que não se consegue-se lavar as mãos.

Qual o melhor teor alcoólico para se realizar a assepsia das mãos?

Outra dúvida gerada foi sobre qual porcentagem de álcool utilizar para se higienizar as mãos. O uso recomendado é do álcool 70% (p/p), o qual apresenta potencial de desnaturação de proteínas e estruturas lipídicas, contribuindo para a destruição do vírus. Em resumo, esse teor alcoólico é capaz de destruir a estrutura de vírus e bactérias, matando-os. Caso a porcentagem de álcool fosse maior, haveria rápida evaporação do mesmo nas mãos devido a sua volatilidade e, consequentemente, sua ação antimicrobiana seria ineficiente.

É possível fazer álcool em gel em casa?

Por último, houve a divulgação de várias receitas sobre como fazer a fabricação caseira de álcool em gel. Além da maioria desses procedimentos não indicarem a forma correta de fabricação do álcool em gel, os mesmos não garantem o correto teor alcoólico (70%) para a higienização das mãos. Outros pontos preocupantes acerca dessa prática são a não garantia de segurança do uso, a possibilidade de causar acidentes, a possível contaminação do produto e a potencial inflamação da pele. Dessa maneira, o Conselho Federal de Química não recomenda o uso dessa prática e repudia sua comercialização.

Contudo, as farmácias de manipulação foram autorizadas pela ANVISA a preparem e venderem álcool em gel diretamente para o público, com o intuito de ampliar de forma segura o acesso da população a esse produto. A autorização, no entanto, é temporária.

Uso consciente e racional – não faça estoque!

Em períodos de insegurança como esse, a procura pelo álcool em gel vem crescendo, assim como seu uso incorreto. Mas, ao contrário do que se pensa, a estocagem de produtos não se faz necessária quando as medidas de higienização são devidamente colocadas em prática. Além de desnecessária, a estocagem do álcool fará com que outras pessoas não tenham acesso ao mesmo e, consequentemente, não poderão utilizá-lo para combater o contágio da doença.

É necessário manter a calma e fazer o uso consciente do álcool em gel, além de seguir as indicações de reclusão propostas pelo Ministério da Saúde. Por se tratar de uma doença de fácil transmissão, muito além de garantir a própria higienização, é preciso adotar medidas solidárias para evitar sua propagação e garantir a proteção de todos. Portanto, não faça estoque, fique em casa e contribua para a segurança pública. Se você tem interesse em saber mais sobre a pandemia do coronavírus, nós temos um conteúdo sobre esse assunto! Basta clicar aqui para acessá-lo.

Compartilhe nosso conteúdo e ajude outras pessoas a terem acesso a essas informações!