“Com o avanço da ciência, novas técnicas foram desenvolvidas, com destaque para a  terapia farmacogenética: uma nova área da genética, focada no estudo do impacto da variabilidade genética no uso de medicamentos pelas pessoas. Por ser uma pesquisa informativa sobre o paciente, seu objetivo é melhorar a experiência do mesmo ao tomar um medicamento, procurando diminuir seus possíveis efeitos adversos. Quer saber mais sobre? Leia nosso texto logo abaixo!”

No que se baseia? 

Um dos estudos feitos na  terapia farmacogenética é a metabolização de fármacos feita por enzimas, ou seja, se a velocidade de degradação está normal, muito rápida (metabolismo acelerado) ou muito baixa (metabolismo lento). É possível descobrir essa informação ao traçar o perfil genético do paciente para tornar o tratamento mais personalizado e, assim, proporcionar um melhor resultado. 

Essa prática recebe o nome de medicina personalizada, pois cada indivíduo possui seus próprios genes que podem se expressar de diversas formas, o que impacta na variação do seu comportamento e interação com os medicamentos. Com isso, um remédio e uma dosagem podem ter efeitos diferentes nas pessoas. 

Como é aplicado na prática?

A farmacogenética é aplicada no dia-a-dia através dos exames farmacogenéticos. Por meio deles, é possível traçar o perfil genético do paciente, tendo acesso a informações relevantes para avaliar o paciente de forma personalizada.

Depois de concluída a pesquisa, o médico terá mais segurança e certeza do diagnóstico, assim como da prescrição do medicamento, adaptando o tratamento se necessário. Para pessoas com metabolismo de fármacos lento, ele indica doses menores, evitando intoxicações por concentrações excessivas. Para aquelas com metabolismo mais acelerado, serão prescritas doses um pouco maiores, garantindo o efeito terapêutico esperado.

É sempre importante lembrar, no entanto, que o tratamento nunca envolve apenas a pesquisa farmacogenética, mas também outros fatores, como a dieta e o estilo de vida, que devem ser considerados.

Em quais áreas é utilizado?

Embora seja uma vertente nova, a farmacogenética já tem mostrado grandes resultados em várias áreas da saúde, como na psiquiatria e na oncologia.

  • Psiquiatria: as pesquisas farmacogenéticas proporcionam adaptações de dosagem e medicamentos, assim como permitem identificar interações indesejadas entre eles, já que é comum pacientes psiquiátricos tomarem mais de um tipo de remédio.
  • Oncologia: além de auxiliar na identificação de células cancerígenas resistentes a determinados medicamentos, a farmacogenética tem possibilitado o desenvolvimento de tratamentos inovadores e mais eficazes.

Tem uma farmácia e gostaria de divulgar informações sobre a farmacogenética nela, mas não sabe como? Clique aqui para entender como melhorar a assistência farmacêutica no seu estabelecimento!

Referências

Revista de Pesquisa Fapesp

Genera

Quer receber atualizações dos nossos conteúdos, promoções exclusivas e um ebook especial sobre a COVID-19 e seus cuidados?

Então inscreva-se agora! Basta informar os dados abaixo. É fácil, rápido e totalmente gratuito!