As interações medicamentosas são as alterações que se produzem na ação de um medicamento, devido à ingestão de outro medicamento, remédio, alimento ou bebidas. Embora nem toda interação medicamentosa seja prejudicial, antes de ingerir qualquer medicamento um especialista deve ser consultado e as interações devem ser analisadas. Para saber mais sobre o assunto, leia nosso texto abaixo!

O que são interações medicamentosas ?

As interações medicamentosas são comuns no nosso dia a dia e podem ser causadas pela associação de mais de um medicamento e até mesmo destes com alimentos,  bebidas, drogas sintéticas, fitoterápicos, chás e ervas medicinais.  Elas se caracterizam pela interferência na absorção, ação ou eliminação natural de determinado fármaco. 

Por ser uma realidade, é importante alertar a população sobre a interação medicamentosa e sobre os riscos que o uso irracional de medicamentos pode trazer. Por isso, deve-se sempre consultar um profissional de saúde, evitando a automedicação, e também questioná-lo se já está utilizando algum outro medicamento, chás ou até mesmo ervas, pois podem haver interferências nos efeitos, aumentando-os ou diminuindo-os.

Quais são as interações medicamentosas?

Existem diferentes tipos de interações medicamentosas, sendo elas prejudiciais ou benéficas. Na maioria das vezes, as interações medicamentosas são prejudiciais ao paciente, tendo um impacto na saúde do paciente, podendo ser leve ou até mesmo levar à hospitalização. Esse tipo de interação geralmente é provocada por um erro de prescrição, ou, por automedicação. Os principais efeitos dessas interações são intoxicações medicamentosas, anulação do efeito terapêutico, não tratamento da doença ou de seus sintomas e exacerbação de reações adversas. 

Já as interações benéficas, são um tipo de interação medicamentosa intencionalmente causada pelo prescritor. Assim, o principal efeito causado por interações medicamentosas benéficas é a otimização dos efeitos do tratamento medicamentoso, ou, a eliminação de reações adversas. Veja abaixo todos os tipos de interações.

  • Medicamento com Alimentos ou Bebidas

Alguns medicamentos podem ter efeitos adversos se tomados junto com certos alimentos e bebidas. Por exemplo, qualquer pessoa que esteja tomando medicamentos para controlar a pressão, deve-se evitar a ingestão de alimentos com alto teor de gordura. Além disso, a combinação de alguns chás com anti-inflamatórios pode causar dores de cabeça e dificuldade para dormir.

Já a interação de medicamentos com bebidas alcóolicas é uma das mais perigosas. Essa combinação pode impedir que os tratamentos tenham efeito ou aumentar muito as chances de uma reação adversa. Estudos ressaltam que o álcool ao entrar em contato com pelo menos 5.000 medicamentos do mercado,  vendidos com ou sem prescrição médica, altera a interação das enzimas com outras substâncias corporais, interferindo em seu potencial. Um exemplo disso é a interação entre álcool e paracetamol. O álcool pode aumentar a toxicidade hepática deste medicamento, causando problemas no fígado do paciente. 

  • Medicamento com outro Medicamento

Essa interação ocorre entre dois medicamentos e, quando usados ​​em conjunto, podem reduzir seus efeitos ou aumentar as reações adversas. Um exemplo comum de interação entre dois medicamentos diferentes é entre antiácidos e anti-inflamatórios, já que os medicamentos antiácidos podem diminuir a absorção dos anti-inflamatórios, reduzindo o seu efeito terapêutico. 

  • Medicamento com Exame Laboratorial

Para esse tipo de interação medicamentosa é importante que no momento em que for realizar um exame laboratorial, informar os especialista se está fazendo uso de algum medicamento, pois isto pode interferir no resultado do exame. Sendo exemplificado pela situação de um tratamento com amoxicilina; nesse caso, o exame de urina pode encontrar-se alterado, indicando uma falsa presença de glicose na urina. 

Quais são os riscos?

Considerando os danos, classificamos a gravidade das interações medicamentosas em leve, grave ou moderada. Os riscos das interações medicamentosas podem incluir desde a ausência do efeito do medicamento, dores no estômago, tontura, até uma intoxicação com necessidade de internação. Em alguns casos, podem ocorrer interações e, mesmo que os riscos sejam conhecidos, o médico e o farmacêutico optam pela manutenção dos medicamentos associados, necessários para o tratamento do paciente. 

Todas as interações medicamentosas precisam ser avaliados os benefícios e riscos. Às vezes, mesmo que haja riscos, os profissionais decidem manter a prescrição e monitorar seus efeitos.

Formas de evitar as interações medicamentosas

A fim de evitar as interações medicamentosas, ressaltamos que não deve existir a automedicação e que um especialista deve ser consultado. Além dessas medidas, é importante ler a bula, pois contém todas as informações úteis a respeito do medicamento a ser administrado, inclusive se ele pode, ou não, ser consumido junto a outros remédios, com água, outros líquidos, em jejum ou alimentado.

 

Quer saber mais sobre o assunto ou sobre nossa empresa? Entre em contato conosco clicando aqui.

 

Referência:

SPDM

Hipolabor

Quer receber atualizações dos nossos conteúdos, promoções exclusivas e um ebook especial sobre a COVID-19 e seus cuidados?

Então inscreva-se agora! Basta informar os dados abaixo. É fácil, rápido e totalmente gratuito!