A qualidade de um medicamento envolve não somente a qualidade das matérias primas que o compõem e o seu processo de produção, mas também as etapas de aquisição, transporte e armazenamento adequados para que as características farmacológicas do produto não sejam comprometidas. Dificilmente é possível identificar um medicamento que apresenta alterações que o tornam inativos ou nocivos à saúde, sendo assim preparamos um conteúdo para ajudá-lo a administrar corretamente seus produtos, confira!

O que envolve o armazenamento correto de medicamentos?

De acordo com o Ministério da Saúde, o armazenamento de medicamentos é definido por um conjunto de etapas técnicas e administrativas que garantem as condições adequadas de conservação dos produtos que abastecem o estabelecimento farmacêutico. Sendo assim, envolve etapas essenciais como: recebimento, estocagem de acordo com as especificações dos medicamentos e controle de estoque. Veja com mais detalhes cada uma delas:

1. Recebimento dos medicamentos

Ao receber os medicamentos adquiridos atente-se às instruções por escrito que ressaltam o adequado método de estocagem e manuseio dos mesmos. Além disso, é imprescindível avaliar a documentação que os acompanham e realizar a inspeção das condições de armazenamento do produto, averiguar o rótulo e checar a quantidade de produto disponível.

2. Estocagem dos medicamentos:

Os estoques devem apresentar condições que permitam preservar as condições dos medicamentos. Para isso seguem algumas dicas essenciais:

  • Permita a fácil visualização e identificação dos medicamentos quanto ao nome, número do lote e prazo de validade;
  • Não armazene os produtos diretamente em contato com o solo ou paredes e evite também o contato direto com a luz solar;
  • Realize a limpeza recorrente do ambiente para minimizar as chances de contaminação dos produtos;
  • A liberação de entrega deve obedecer a ordem cronológica do número dos lotes, para que os lotes mais antigos sejam vendidos antes que estejam vencidos;
  • Realize a inspeção com frequência dos estoques a fim de verificar qualquer alteração visível e cheque se os medicamentos ainda estão sob garantia de seus prazos de validade.

Além disso, alguns medicamentos requerem um cuidado ainda maior, uma vez que devem ser armazenados de acordo com suas especificações. São eles:

Medicamentos termolábeis: requerem uma estocagem em temperatura constante ao redor de 20°C, sendo assim necessários registros da temperatura e um sistema de alerta para possíveis defeitos do equipamento de ar condicionado.

Vacinas e soros: deve-se evitar ao máximo a exposição de qualquer tipo de luz, de forma que devem ser armazenados em equipamento de refrigeração e que também tenham um controle rígido da temperatura, permitindo que não ocorra variações extremas. Além disso, é imprescindível a execução de outras medidas, como: programar antecipadamente a retirada de produtos do equipamento de refrigeração, dispor de uma rede alternativa de energia como um gerador e organizar os medicamentos de forma que permita uma livre circulação do ar frio.

Medicamentos de uso controlado: devem ser estocados em um local que garanta sua segurança máxima, sendo separados das demais classes de medicamentos. Além disso, apenas pessoas autorizadas, tais como o farmacêutico responsável, podem ter acesso a eles e dispensá-los aos clientes.

3. Controle de estoque:

Dentre os inúmeros medicamentos e outros produtos que podem ser comercializados na farmácia, avaliar quais deles apresentam maior saída é imprescindível para o melhor gerenciamento de seu estoque. Isso permite que os produtos não excedam seu prazo de validade e evita gastos indevidos com medicamentos que não apresentam saída significativa. Nesse contexto, duas ferramentas podem te ajudar a otimizar seu controle de estoque:

  • Curva ABC: permite a categorização dos medicamentos e demais produtos de acordo com sua saída, o que permite identificar aqueles que mais são procurados e também os que não apresentam grande procura;
  • SKU (Stock Keeping Units): em português é denominada “Unidade de Manutenção de Estoque”, sendo essa uma ferramenta que auxilia na logística dos produtos e medicamentos por meio de códigos que permitem sua rápida identificação.

Ficou curioso para saber mais sobre a Curva ABC? Clique aqui para aprender um pouco mais sobre essa ferramenta que tanto ajuda no gerenciamento de estoque!

E quer saber mais sobre a SKU? Também temos um post explicando detalhes dessa ferramenta, clique aqui!

Gostou do nosso conteúdo? Entre em contato conosco clicando aqui para que possamos te ajudar a ter um melhor gerenciamento dos seus produtos!

REFERÊNCIAS:

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd05_05.pdf

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/servicos_farmaceuticos_atencao_basica_saude.pdf