Escolha uma Página

No mundo globalizado, as pessoas pararam de consumir produtos apenas com base na qualidade dos mesmos, mas também passaram a levar em conta aspectos sustentáveis, compatíveis com suas crenças. Quer saber mais sobre como isso influenciou o mercado cosmético? Confira aqui!

A causa interessa

A relação do consumidor com as marcas e os produtos está mudando. No seu levantamento Beauty and Personal Care Trends 2018, a Mintel Global afirma que não basta apenas vender um ótimo cosmético: as marcas precisam ter personalidade, criando produtos alinhados às crenças dos consumidores, que se tornam cada vez mais exigentes.

O respeito à natureza (uso responsável dos recursos naturais), a elaboração de produtos que utilizam matérias primas naturais e são livres de exploração animal estão se tornando fatores decisivos de escolha para os consumidores. Assim sendo, temas como sustentabilidade e meio ambiente ainda continuarão em pauta por muito tempo. Esse contexto representa uma grande oportunidade de investimento no mercado cosmético nos próximos anos.

Cenário atual: os números são animadores

Os consumidores querem comprar, além de um produto de qualidade, uma atitude e um estilo de vida. Diversas pesquisas confirmam tais tendências no Brasil e no mundo:

  • 42% dos consumidores ingleses de produtos de cuidados pessoais compram aqueles com ingredientes de origem natural porque acreditam que são melhores para o meio ambiente (Pesquisa Mintel Global)
  • 41% dos brasileiros têm interesse em maior variedade de produtos de beleza e cuidados pessoais com ingredientes de origem natural (Relatório Varejo de Produtos de Beleza Mintel)
  • 57% dos latino-americanos estão dispostos a pagar mais por produtos com alta qualidade e elevado padrão de segurança, 48% por produtos que não agridam o meio ambiente e 39% por produtos que mostrem responsabilidade social (Mintel).

Afinal, quais cosméticos atendem às expectativas desse novo cenário?

Os cosméticos naturais, orgânicos, veganos e cruelty-free estão intimamente relacionados com as novas tendências do mercado. Porém, existem algumas diferenças entre eles.

Cosméticos naturais são aqueles que possuem 95% de ingredientes naturais e os 5% restantes de matérias-primas orgânicas ou sintéticas. Ou seja, possuem baixas quantidades de aditivos químicos e sintéticos. Os órgãos internacionais e nacionais, como o IBD (Brasil) e a EcoCert (França), são os responsáveis por certificar se o produto é de fato natural, e também estabelecem uma lista de ingredientes proibidos em tais formulações. Parabenos, Petrolatos, Triclosan, BHA, BHT e silicone são alguns exemplos desses ingredientes, potencialmente nocivos à saúde e ao meio ambiente.

Já os cosméticos orgânicos são formulados com matéria-prima bem cultivada e livre de agrotóxicos. Consequentemente, são sustentáveis, ecologicamente corretos e desenvolvidos com ingredientes naturais. Portanto, quando um cosmético é natural, ele não necessariamente é orgânico, porém quando um produto é orgânico ele sempre será natural.

Os cosméticos que não utilizam ingredientes de origem animal, tais como mel, cera de abelha, lanolina, colágeno e albumina, são considerados veganos. Por fim, os cosméticos cruelty-free são aqueles não testados em animais.

É importante saber diferenciá-los: um cosmético vegano é livre de qualquer exploração animal. Logo, não há ingredientes de origem animal e também não são testados em animais. Já um produto cruelty-free não necessariamente é vegano, ou seja, pode conter ingredientes de origem animal.

 

Ficou interessado?

Gostaria de saber mais sobre o assunto? Então não hesite em entrar em contato conosco, clicando aqui!

 

Fontes

https://vogue.globo.com/beleza/noticia/2018/07/cosmetico-organico-vegano-natural-cruelty-free-entenda-diferencas.html

Caderno de Tendências 2019-2020: ABIHPEC e Sebrae