A água é um recurso necessário para a sobrevivência de qualquer ser vivo e possui diversas utilidades. Contudo, diversos compostos químicos ou microorganismos podem estar presentes na água, caso não seja tratada pode oferecer riscos à saúde de quem a consome. Mas como saber se a água realmente está adequada para o consumo? Neste post traremos as informações necessárias sobre a análise e sua importância no ambiente empresarial.

O que é a análise de água para potabilidade?

É a avaliação da qualidade da água para saber se é seguro consumi-la e se a sua ingestão não implicará em riscos para o consumidor. No Brasil a Portaria 2.914 de 12 de dezembro de 2011, incorporada pela PRC n° 5, de 28 de setembro de 2017, Anexo XX, indica quais são os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

Empresas de saneamento que realizam tratamento e distribuição de água para rede pública, as que utilizam sistemas alternativos de abastecimento e até mesmo pessoas físicas que utilizam poços, por exemplo, devem obrigatoriamente avaliar a qualidade da água conforme os parâmetros e limites definidos na portaria.

A água potável apresenta características específicas que a tornam adequada ao consumo, as quais constituem o Padrão de Potabilidade, estabelecidos pelo Ministério da Saúde e que devem ser seguidos.

Qual parâmetro utilizar?

A água possui diferentes finalidades, que gera diferentes exigências com relação à sua composição. Para cada tipo de uso, há uma regulação específica a ser seguida, uma das mais citadas é a Portaria GM/MS nº 888, de 2021, que se refere à água para consumo humano, portanto, é tida como padrão para muitas análises.

Como é realizada a análise da água?

Uma amostra de água é coletada conforme um plano definido antes da coleta e é encaminhada ao laboratório que avalia diferentes parâmetros, comparando com os limites especificados pela legislação vigente. Após a finalização das análises a empresa recebe um relatório de ensaio contendo os parâmetros avaliados e assim pode tomar as medidas necessárias caso algum parâmetro esteja fora do recomendável.

Testes físicos

A análise física é feita para identificar se a água está em condições ideais para uso ou consumo de acordo com suas características detectáveis pelos sentidos, ou seja, visão, paladar, olfato e tato. Todos esses tópicos podem ter variações graças à presença de minerais, substâncias de origem vegetal, matéria orgânica, bactérias e microrganismos. Por isso, existe a definição de um Valor Máximo Permitido (VMP) referente à tolerância de características físicas.

Um exemplo é a identificação da cor, que segue a escala de platina-cobalto, que define a necessidade do líquido ter um número limite de unidades uH, no caso da água potável, o VMP é de 15 uH.

Em seguida, podemos citar a análise de turbidez, que é a capacidade de passagem de luz. Para o consumo humano, esse número só deve ir até 5 uT (ou unidade de turbidez). Por fim, odor e sabor também são analisados. Por serem questões não objetáveis, isso é realizado empiricamente, e o processo deve ser registrado.

Testes químicos

As análises químicas são feitas para averiguar as quantidades de substâncias minerais e orgânicas presentes na água. Para isso uma amostra é coletada e, então, são mensuradas as quantidades de elementos com cloretos, alumínio, fluoretos, cloro residual, além da sua alcalinidade.

Testes microbiológicos

Com intuito de assegurar a biossegurança, independentemente do uso da água, é essencial realizar testes microbiológicos que verificam a quantidade de microrganismos, e se são ou não prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Alguns dos parâmetros utilizados são a contagem de coliformes totais, coliformes termotolerantes, salmonella, de bactérias heterotróficas, cianobactérias e cianotoxinas.

Por que a análise de água deve ser feita na minha empresa?

Apesar da qualidade da água ser de responsabilidade das Companhias de Saneamento ou dos sistemas alternativos de abastecimento, ela pode sofrer algumas alterações químicas e microbiológicas, devido às más condições do sistema hidráulico ou falta de higienização das caixas d’água, que frequentemente ficam longos períodos sem limpeza.

A recomendação é que se realize a limpeza das caixas d’água e que se realize a análise da qualidade, garantindo assim, a saúde e o bem-estar dos seus colaboradores e clientes, além de gerar um equilíbrio sustentável entre o desenvolvimento econômico e a natureza.

Quero realizar a análise de água, como faço?

Descubra como um serviço pode alavancar ainda mais o seu negócio, entre em contato conosco clicando aqui. Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre esse tipo de análise ou precisa deste serviço? Clique e confira também nossas outras publicações sobre o tema:

Referências

LBN Análises Laboratoriais

ForlabExpress

Olá! Clique aqui para entrar em contato com nossa assessora!